top of page

Você sabe como é feita a necropsia?

Atualizado: 5 de abr. de 2022

Para emitir o laudo que determina a causa jurídica de uma morte, é necessário contar como os serviços do Instituto Médico Legal (IML). Diferentemente do que muitos pensam, esse procedimento é conhecido por necropsia, em vez de autópsia. Neste artigo, explicamos como é feita a necropsia. Mas tranquilize-se, pois imagens fortes foram retiradas do conteúdo. Atente-se às informações e acrescente-as ao seu conhecimento agora mesmo!

Qual é a função do IML?


Deseja saber como é feita a necropsia? O IML emite laudo com a causa jurídica da morte e é um serviço ligado ao departamento da Polícia Científica e Secretaria de Estados de Segurança Pública. São perícias médico-legais realizados em cadáveres, partes de corpos e ossadas. O intuito é determinar o que levou aquele corpo à morte. Portanto, tem-se a necropsia. Outros exames em pessoas vivas também podem ser realizados dentro do IML.


O que faz um médico legista?


O profissional que trabalha no Instituto Médico Legal realizando necropsia é o médico legista. Ele precisa se graduar em medicina enquanto formação acadêmica e prestar concurso público. Posteriormente, deve também se especializar em balística, conforme determina a legislação criminal de exame de cadáveres.


Quando um corpo é enviado ao IML?


Por lei, o corpo deve ser encaminhado ao IML em casos de morte violenta, morte por causa desconhecida ou morte natural sem assistência médica. Sabendo como é feita a necropsia, agora você entende os motivos dessas prescrições legais. Em casos de quedas fatais de uma escada, por exemplo, pode parecer óbvio, mas é a perícia que dirá se a pessoal caiu ou foi empurrada. Esses serviços são realizados pelo Instituto Médico Legal.


Procedimentos comuns no dia a dia dos necrotérios













Cavidades do corpo


Para descobrir as causas da morte, o profissional parte a análise de órgãos a partir de três cavidades do corpo. São elas: abdome, tórax e crânio. Portanto, para mortes suspeitas ou violentas, naturais sem assistência médica ou doenças raras, ou inexplicáveis, ocorre a necropsia. Com cortes iniciados nas cavidades citadas, o exame é prosseguido. Confira, a seguir, o funcionamento com a ordem de ocorrências.


Funcionamento

  1. Família reconhece o corpo e, logo em seguida, o cadáver tem seu peso aferido e é lavado com sabão e água;

  2. a necropsia começa com análise externa do corpo. Com isso, são identificados possíveis furos de bala ou outras lesões;

  3. as três cavidades citadas são abertas para um exame detalhado e interno. O rasgo feito do pescoço ao púbis pode ter formato de T, Y ou I, dando acesso ao abdome e caixa torácica;

  4. todos os órgãos danificados são analisados para que o motivo da morte seja descoberto. Casos de envenenamento ou estômago e coração esfaqueados podem ser identificados neste momento;

  5. o couro cabeludo é cortado de uma orelha até a outra. Com uma serra elétrica, a tampa do crânio é removida e todos os nervos do cérebro são cortados para que ele seja retirado;

  6. após a análise, os órgãos são reposicionados e o corpo é fechado. Os pedaços menores são incinerados e o resto do corpo costurado. Para o enterro, roupas e cabelos escondem as marcas do exame;

  7. o tempo necessário para a liberação do corpo pode durar de quatro a oito horas. Para saber de fato como é feita a necropsia, é importante salientar que o serviço em si dura no máximo três horas. A Declaração de Óbito é emitida pelo IML com o motivo da morte. Posteriormente, o documento possibilita a retirada da Certidão de Óbito no cartório.


8.263 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page